rain maker - Costa Rica

não se descreve a chuva. e só se dá por ela quando falta ou cai em demasia. assim é este blog. é, ou não é.

8.08.2005

mulher?

da pedra se faz a escopro e martelo
a beleza da estátua.
de tanto a contemplar acredita-se : é gente.

tantas vezes uma mulher-estátua de pedra
se pensa ela própria uma mulher
milagres da arte ou da projecção
de quem a contemplou e achou bela.

que fica entre o que se contempla
e a contemplada
beleza fria e feminina então, nada?
não
nada, seria bom.

há o monstro que ganhou vida e a multiplica
e gera montros com que brinca
brincando com destroços, fragmentos
da vida que criou.

mãe, mulher, beleza e... pedra fria.

pobres filhos de pedra deformada
pedra que gera pedra
não gerou
mais que a continuação de si
e só a si amou.

e o artista partiu. sorriu de vê-la.
burilou-a e gostou
mas não ficou.

tantos filhos de pedra
a cercam
sem que a mão do artista
possa retocá-los.
almas feitas de pedra
frieza e sem beleza.

crueldade de pedra
abandonada
que deixou de ser bloco em bruto
sem ninguém
lhe pedir opinião nem nada
e se vê agora fria e rejeitada
pelo turista
que passou e nem olhou .

pobre e perversa pedra mal amada

que um dia de outro artista se vingou.



a um Irmão que sofre, com o maior carinho.

10 gotas:

Blogger Papo-seco deixou estas gotas

:)

8/8/05 12:18 da manhã  
Blogger adesenhar deixou estas gotas

;)
venha esse poema :)

8/8/05 1:52 da manhã  
Blogger wind deixou estas gotas

Já espero desde ontem:) bjs

8/8/05 9:51 da manhã  
Blogger Lina deixou estas gotas

Eles esperaram e eu apanhei-o na horinha certa, lindo como sempre.

Uauuu, ja temos musica nova?!
Boa semana

Beijos

8/8/05 2:44 da tarde  
Blogger Caracolinha deixou estas gotas

Mais uma linda partilha... ~:oD

8/8/05 4:03 da tarde  
Blogger batista filho deixou estas gotas

Gostei da construção, encadeamento das idéias... tudo mui bem disposto. Bom mesmo. # Não sei se repito um comentário que já fiz, mas... acho que foi Gibran que disse, algo mais ou menos assim: “As pedras também têm coração, só que batem num ritmo diferente do nosso.” Ouvir, pois, o coração das pedras. Pedras!... pedras, com um ritmo de batimentos cardíacos diferente do nosso, mas tal qual o nosso próprio coração, deve sangrar...

8/8/05 6:46 da tarde  
Blogger Lumife deixou estas gotas

Trago-te um poema de Carlos Drummond de Andrade:

No Meio do Caminho

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

tinha uma pedra

no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento

na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho

tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

no meio do caminho tinha uma pedra.

Tem uma boa semana.

Bjs.

8/8/05 8:20 da tarde  
Blogger wind deixou estas gotas

Belo e realista poema, infelizmente:(((( Beijos

8/8/05 8:39 da tarde  
Blogger romero deixou estas gotas

Hermosa estátua...precioso poema :)

8/8/05 8:41 da tarde  
Blogger paper life deixou estas gotas

A todos boa noite e obrigada! :)

Lumife, certeiro poema sem dúvida!

Lina, armei-me em espertta e copiei a base que me deste, só mudando o endereço e, espanto meu: deu certo!

Agora não kero outra vida! lolol

Beijos a todos.

:)

8/8/05 8:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home