rain maker - Costa Rica

não se descreve a chuva. e só se dá por ela quando falta ou cai em demasia. assim é este blog. é, ou não é.

7.12.2005




'Árvores do Alentejo'


Horas mortas... Curvada aos pés do Monte
A planície é um brasido e, torturadas,
As árvores sangrentas, revoltadas,
Gritam a Deus a benção duma fonte!

E quando, manhã alta, o sol posponte
A oiro a giesta, a arder, pelas estradas,
Esfíngicas, recortam desgrenhadas
Os trágicos perfis no horizonte!

Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!

Árvores! Não choreis! Olhai e vede:---
Também ando a gritar, morta de sede,
Pedindo a Deus a minha gota de água!


Florbela Espanca

5 gotas:

Blogger adesenhar deixou estas gotas

mil e uma gotas
sobre o belo alentejo
criem riachos
que dêm de beber ás tuas árvores
e tu chapinhes descalça pela rua entoando Florbela Espanca :)

12/7/05 12:47 da manhã  
Blogger paper life deixou estas gotas

Lindo Menino! Fizeste-me sorrir.

:) :) :)

12/7/05 1:25 da manhã  
Blogger wind deixou estas gotas

Belo soneto de Florbela Espanca e muito actual:) beijos

12/7/05 12:30 da tarde  
Blogger BlueShell deixou estas gotas

Tal como eu!

Um dos meus preferidos de Florbela! Impressionante como ela personifica as`´arvores.

Jinho recheado de carinho
BShell

12/7/05 3:37 da tarde  
Blogger paper life deixou estas gotas

Olá Conchinha! Tudo bemcontigo?

Beijos :)

13/7/05 6:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home