rain maker - Costa Rica

não se descreve a chuva. e só se dá por ela quando falta ou cai em demasia. assim é este blog. é, ou não é.

7.23.2005

Celebrar O DIA


"A Prayer for Peace" by Miguel Tió


- vem filha, depressa, é tão linda a festa! não falta ninguém!

- mas eu já não lembro porque se faz festa neste dia mãe...

- não eras nascida e graças a Deus! quando o fim esperado não aconteceu.

- conta mãe.conta!

- eu conto outra vez,
ninguém pode nunca voltar a esquecer.

a mim também foram já os teus avós a contar-me tudo.
tanto eles sofreram enquanto contavam!...

- mas conta já, mãe!

- nesta Terra grande que um dia Deus ou a Natureza ou o que quiserem, fez com perfeição, os homens viveram bem as suas vidas, entre a natureza no entendimento com o mar, os rios, os animais livres, as aves voando, as árvores verdes, as flores e o céu ou os outros astros que há no infinito espaço que nos cerca.

e foram sonhando. e foram estudando, e isso era bom!

descobriram tanta tanta coisa boa!

mas não aprenderam que sonhar demais pode afastar-nos muito do que nos envolve, do que está mais perto, das coisas pequenas, as mais importantes.

e em cada dia exigiam mais, competiam mais.

e se já no início, eles se batiam pelo espaço como os outros bichos, passaram a querer dominar os outros e a própria Terra.

vieram as guerras.

mataram mataram. as bombas que eles foram inventando destruíam tudo.

queimaram as árvores secaram os rios e o solo, de pobre, não tinha o que dar.

países inteiros morriam de fome. outros já morriam por comer demais...

que loucura extrema!

nuns sítios havia só inundações. noutros não chovia.

ilhas afundaram com tudo o que tinham. o ar poluído trazia doenças que não tinham cura.

mas ninguém fazia parar os senhores da guerra. na sua cegueira de ter sempre mais.

quando tudo estava à beira do fim, num caos que só visto, e eu também não vi, parece que houve uma inspiração num mesmo momento para toda a gente.

homens e mulheres foram para a rua numa nudez pura de quem se desprende do que é material e todos num Dia rezaram à uma. em cada cantinho que há neste mundo pela precisa Paz..

e os senhores da guerra pararam para ver.

e tudo mudou.

a vida voltou à sua beleza ao seu equilibrio com o que havia na Terra, de início.

é isso, filhinha que hoje celebramos. é esse, é: O Dia!

mas anda, ou perdes parte desta festa que desde essa altura, se celebra sempre para nunca esquecer.

- já estou pronta, mãe!

5 gotas:

Blogger Mocho Falante deixou estas gotas

Olha pois realmente est post, veio mesmo de encontro ao que se passou em Sharm el-Sheik, de facto os homens cegam por causas que nem sequer sabem explicar muito bem.

Adorei o texto

um abraço

23/7/05 6:21 da tarde  
Blogger wind deixou estas gotas

Grande post, principalmente agora que estamos rodeados de guerras, de seca, de desentendimento entre as pessoas, de desumanização. Magnífica imagem. beijos

23/7/05 8:28 da tarde  
Blogger Menina_marota deixou estas gotas

"...mas não aprenderam que sonhar demais pode afastar-nos muito do que nos envolve, do que está mais perto, das coisas pequenas, as mais importantes...."


Este texto tocou-me a alma... num momento em que tanta coisa acontece neste Mundo... é bom uma introspecção...

Um abraço e bom fim de semana :)

23/7/05 11:37 da tarde  
Blogger batista filho deixou estas gotas

Faz bem pra gente, ler o que escreveste... o pranto de desespero que se aninha no âmago e nem sempre chega aos olhos, rompido o dique, por força das tuas palavras, põe-se em movimento. Mas, no percurso entre o mais íntimo de nós e o olhos, algo muda na natureza das lágrimas: o desespero dá lugar a uma tênue esperança, que aos poucos aumenta de intensidade, e as lágrimas, ao descerem mansamente pela face, suavizam as rugas, marcas do tempo, marcas de dor... o rosto como se ilumina de Paz e Esperança, das quais tanto carecemos.
Que mais posso dizer?... quase esqueço: obrigado, amiga!

24/7/05 2:34 da manhã  
Blogger Seila deixou estas gotas

lindo e muito "apropriado"! Uma boa semana

24/7/05 11:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home